Chatbots e os micro-momentos

Com uma interface simples e natural, os chatbots vieram para atender as pessoas em seus micro-momentos!

Se você acompanha as notícias de tecnologia no Brasil ou fora, com certeza já notou que temos um novo queridinho do mercado. Os chatbots vem dominando os holofotes e também os investimentos do Vale do Silício nos últimos tempos.

Mas porque os bots que existem a tantos anos começaram a ser notados somente agora? Porque grandes empresas como Facebook, Google, Amazon, Microsoft, IBM e outras estão investindo tanto em interfaces conversacionais? A resposta para esta pergunta é o fenômeno dos micro-momentos!

Durante o 2º meetup da comunidade Chatbots Brasil, o criador do chatbot Alice, Bruno Brandes, mostrou uma relação entre micro-momentos e os chatbots, resolvi ir mais a fundo e escrever este artigo sobre isso!

Mas o que é um chatbot?

“Chatbot é um serviço baseado em regras ou inteligência artificial que você interage por uma interface conversacional.” Matt Schlicht

De forma simplificada, são serviços que você pode acessar diretamente pelo Facebook Messenger, Telegram, Twitter ou até pelo tradicional SMS.

Mas porque as pessoas usariam chatbots?

Considere o seguinte contexto: Você está querendo ir ao dentista, mas sempre se enrola e não consegue arranjar tempo. Eis que aquela reunião das 16:00 é cancelada de última hora e você pensa: “opa, agora vai dar tempo”.

Neste caso você tem duas opções:
– ligar ao consultório e ver com a secretária se há algum espaço na agenda
– você é amigo de infância do dentista e envia uma mensagem no WhatsApp para ver se ele pode te atender.

Swelly bot

E se você está em casa sozinho(a), se vestindo para sair e está na dúvida entre duas camisetas ou dois vestidos diferentes?
Se você não tem para quem perguntar no momento e não gostaria de se expor (mais) nas redes sociais, hoje já existe um chatbot feito por Peter Buchroithner e sua equipe, o Swelly, onde você envia para votação os dois looks e o pessoal já começa a votar instantaneamente.

Estas situações são chamadas de micro-momentos!

E o que são micro-momentos?

O conceito de micro-momento foi introduzido por Sridhar Ramaswamy, Vice Presidente de Ads do Google, em 2015 no artigo: “How micromoments are changing the rules”.

O micro-momento é um fenômeno de mudança de comportamento de consumo das pessoas, resultado da grande presença dos smartphones no nosso dia-a-dia. Este conceito está baseado na ideia que vivemos milhares de micro-momentos durante o dia, e só agimos e consumimos após pesquisar por informações nos nossos smartphones.

“Ninguém se prende mais a determinados momentos para pesquisar e tomar decisões. A previsibilidade dos desktops cedeu lugar às interações fragmentadas, viabilizadas pelo uso intenso dos dispositivos mobile. Nesse novo contexto, as decisões passaram a ser tomadas em instantes de impulso, gerados a partir de uma necessidade que não tem mais hora marcada para se manifestar.”

Os micro-momentos são classificados em quatro:

Fonte: Google
  • Eu quero saber: Acontece quando as pessoas tem uma vontade pontual de saber mais sobre algo. Isso fica bem claro nos bilhões de buscas, de horas de vídeos assistidos e de interações com vários sites e aplicativos que testemunhamos todos os dias.
  • Eu quero ir: Com a internet na palma da sua mão, fica mais fácil descobrir o mundo ao seu redor. As buscas por “próximo de mim” cresceram 55% entre janeiro e junho de 2014 e 2015.
  • Eu quero fazer: Não precisamos mais esperar para descobrir como fazer algo, estamos acostumados a buscar por marcas que nos entreguem exatamente o que estamos procurando naquele momento.
  • Eu quero comprar: 79% dos consumidores brasileiros dizem que estão tomando decisões de compra mais rápido agora do que há alguns anos.

Tá, e onde entra o chatbot nisso tudo?

Os chatbots reduzem os passos e ações necessárias para as pessoas satisfazerem suas necessidades durante um micro-momento, criando uma melhor experiência, aumentando a objetividade das interações e diminuindo a fricção.
Além disso, os (chat)bots entregam seus serviços pelos aplicativos de mensagens, pulando uma das etapas de maior fricção com os usuários: o download e armazenamento de Apps nos Smartphones, tornando o uso dessa tecnologia praticamente instantânea.

Exemplo de um chatbot de delivery desenvolvido pela Harlio Bots. Sem downloads, direto no Messenger!

A expansão de tecnologias móveis está mudando significantemente a jornada do usuário, criando sessões mais fragmentadas e menores durante o dia, e isso explica a explosão esperada dos chatbots nos próximos anos.


Os chatbots atendem as necessidades dos micro-momentos de forma simples, objetiva, instantânea e muito mais divertida 😜


Ah, e antes que me perguntem: Não, os chatbots não vão matar os Apps ou a Web, pelo contrário, eles se complementarão para atender as necessidades das pessoas em cada micro-momentos.

Os chatbots estão aí para preencher uma lacuna entre a Web e os Apps, principalmente porque eles existem onde as pessoas estão: nos aplicativo de mensagens!

Quantas vezes hoje você usou aplicativos de mensagens em relação a outros aplicativos? Agora pense bem, existe melhor lugar para atrair atenção durante um micro-momento? 😎

5 etapas para montar seu próprio chatbot agora

Dicas práticas para criar um chatbot sem a necessidade de codificação

Após a aquisição da empresa angel.ai de tratamento de linguagem natural pela Amazon e da empresa api.ai de criação de chatbots pelo Google, não há como negar que a moda do momento são mesmo os chatbots.

Deixando um pouco a teoria de lado, tema para uma próxima história, vou passar algumas dicas práticas para você criar seu chatbot agora!


Poncho Weather — Propósito único: oferecer informações sobre o tempo.

Defina o propósito do seu chatbot

Tanto os chatbots como os próprios usuários desta tecnologia ainda estão em fase de amadurecimento, portanto, quanto mais complexo seu chatbot for, mais difícil do usuário entender e interagir com ele.

Defina um propósito específico do chatbot e seja o mais objetivo possível. Tente não incluir muitas funcionalidades e se caso não for possível, separe bem os fluxos de cada uma das funcionalidades, algo que explico melhor mais para frente.


Conheça a plataforma do seu chatbot

Hoje podemos criar chatbots no Facebook Messenger, Telegram, Slack, KiK, Wechat e Line. Enquanto alguns não são conhecidas no Brasil, outros podem trazer bons frutos se o seu chatbot viralizar.

Enquanto esperamos o WhatsApp liberar sua API oficial, acredito que a melhor plataforma para o lançamento de um chatbot no Brasil seja o Facebook Messenger.

Vou citar aqui algumas das principais funções que você pode utilizar nos chatbots do Messenger. (tenha sempre esses elementos em mente quando for criá-lo)

Texto — Mensagens de texto
Imagens Imagens, incluindo GIFs 😁
Vídeos — Vídeos
Botões — Textos com botões para direcionar o usuário
Quick Replies (respostas rápidas) — Igual aos botões, a diferença é que eles somem quando o usuário clica neles
Generic Templates (carrosséis) — São mensagens que contêm imagens, títulos, subtítulos, descrições e botões que são apresentados em forma de carrossel.


Prepare o fluxo de mensagens e interações antes de sair fazendo

Não se engane, a parte mais difícil de criar um chatbot é definir o fluxo de interações com o usuário e o tom de conversação.

Se você definiu um propósito objetivo para seu chatbot, essa parte fica um pouco mais fácil. Tenha em mente que o usuário ainda não sabe interagir como um chatbot da mesma forma que ele interage com um site ou app, portanto, escreva mensagens claras, objetivas e diretas. Outra falha que não pode ocorrer de jeito nenhum nestas interações, é a falta de resposta. Nunca deixe o usuário sem resposta, se ocorrer alguma situação fora das previstas, avise o usuário que isso aconteceu, não deixe ele no vácuo.

Uma ótima ferramenta para criação destes fluxos é o botsociety.io. Com essa feramenta você pode criar os fluxos do seu chatbot sem precisar colocar a mão na massa ainda. Dedique bastante nessa etapa, a essência do seu chatbot está aqui!


Plataformas de criação de chatbots

Com os fluxos e interações já montados, agora vamos escolher uma plataforma para criação deles.
Existem diversas ferramentas disponíveis que criam chatbots sem a necessidade de codificação.
Estas ferramentas prometem a criação de chatbots em 10 minutos. Se você seguiu algumas das dicas, provavelmente nessa etapa já tem praticamente o chatbot pronto, agora é só criá-lo em uma das ferramentas:

Cada uma delas tem prós e contras, escolha uma que você se sinta confortável e mande bala. A maioria já ativa o chatbot na sua Página do Facebook de forma automática, tudo bem simples mesmo!


Divulgação

Uma das partes mais difíceis é a divulgação dos chatbots no Brasil. Diferente de um site ou app, não temos um Google ou uma Appstore direcionadas para os chatbots.
O que você pode fazer é divulgar seu chatbot em sites como o Botsbrasil que tem uma lista de chatbots nacionais e um grande fluxo de visitantes. Se o seu chatbot é bilíngue, você pode divulgá-lo em alguns sites como botlist.cochatbottle.co.


 Seguindo estas etapas, você terá criado um chatbot simples de forma rápida. Não esqueça de sempre dar uma olhada nas interações dos seus usuários e alterar o que for preciso. Assim como nós, os chatbots estão sempre em construção. 👍

Caso você necessite criar um bot mais robusto e específico, não deixe de falar com a gente da Harlio.com.
Somos uma startup de criação de bots customizáveis e nossos chatbots já conversaram com mais de 45000 usuários e trocaram mais de 5 milhões de mensagens com destaque em sites internacionais como venturebeat.com.

A revolução dos chatbots!

Oito anos atrás, Steve Jobs introduziu no mercado digital uma loja de aplicativos, a App Store, algo que revolucionaria não só o mercado de celulares como a própria internet e o cotidiano de nossas vidas.

Ao longo destes oito anos, diversas aplicações foram criadas e amplamente utilizadas por nós. Amigáveis, educativas, interativas e intuitivas esses aplicativos foram evoluindo com o tempo e nós, nos acostumando ao uso deles.

Hoje, oito anos depois do rápido crescimento destas lojas virtuais, nossos smartphones estão cheios de Apps. Cada um com uma função e às vezes até vários aplicativos fazendo a mesma função. Sem contar a diversidade de layouts que acabam causando certa inconveniência para o usuário. Fora isso, as duas lojas mais populares de apps: o Google Play e a App Store estão saturadas, trazendo uma certa dificuldade para escolha de algo que vale a pena ser baixado e utilizado.

Com o amadurecimento do mercado e o excesso de oferta de Apps, surgiu a necessidade das empresas em criar uma boa estratégia de marketing e realizar um alto investimento para tornar-se visível para os clientes e mostrar o valor do seu App. Sabemos também que quem decide criar um novo App enfrenta um longo tempo de desenvolvimento e homologação.

Pensando em alterar esse cenário, em Abril deste ano, Mark Zuckemberg, (CEO do Facebook) liberou uma nova ferramenta para o desenvolvimento de Chatbots.
Chatbots são robôs virtuais presentes nos aplicativos de mensagens que ajudam seus usuários a completar tarefas como: checar a previsão do tempo, verificar o preço de algum produto na internet, gerenciar agendas e ler noticias entre outras possibilidades.

Interações podem ser feitas via Facebook Messenger

Devido o constante aprendizado de como os usuários interagem com os próprios bots ,esses “robôs virtuais” podem mesclar diversas funcionalidades e retornar um resultado simples com a maneira mais intuitiva de interpretação possível, através de uma linguagem natural.

O surgimento dos chatbots, acredita na unificação de canais de comunicação, facilidade e simplicidade para o empresário e usuário final.

O empresário conta com uma ferramenta acessível financeiramente por ter baixo custo, graças a um menor tempo de desenvolvimento, possibilidade de simples implantação e rápidas alterações.Já os usuários, passam por uma experiência mais dinâmica e simples, sem a necessidade de novos downloads.

Isso acontece pois os chatbots são aplicados nos app’s de mensagens que já estão presentes e instalados na maioria dos smartphones do Brasil e no mundo, como o Messenger, WhatsApp, Telegram e etc.

Com estas vantagens, e o avanço da Inteligência Artificial, os chatbots podem revolucionar o mercado digital na mesma velocidade em que os Apps o fizeram a quase uma década atrás.